BR Partners

Quais os tipos de Mergers & Acquisitions (M&A)?

Como já vimos anteriormente, fusões e aquisições podem variar bastante quanto aos seus objetivos e sinergias. Por isso pode-se classificar alguns tipos principais de M&A existentes. São eles:

M&A horizontal

Uma fusão ou aquisição horizontal ocorre quando duas companhias concorrentes, que vendem o mesmo tipo de produto, se fundem, ou uma adquire a outra. Esse tipo de negócio aumenta o market share e o valor combinado das empresas envolvidas no processo, aumentando assim a capacidade de competição delas perante os demais concorrentes. Operações de M&As horizontais podem aumentar a receita da companhia ao oferecer uma gama de novos produtos para os seus clientes.

Como a competição é extremamente elevada entre companhias operando no mesmo mercado, as sinergias e potenciais ganhos de market share são extremamente elevados para as firmas que fazem a fusão.

Se uma empresa quer expandir a venda de seu produto para uma área geográfica que ela não possui nenhuma familiaridade, uma alternativa pode ser ela se fundir com outra empresa que vende esse mesmo produto nessa área, pois essa empresa conhece as especificidades locais, possui facilidade de distribuição e venda do produto nessa região e os clientes estão familiarizados com ela.

As empresas envolvidas nas fusões horizontais se beneficiam de economias de escala, que caracterizam uma situação em que o aumento na produção diminui os custos unitários de produção.

Um exemplo de fusão horizontal foi o acordo firmado entre Sadia e Perdigão para formar a Brasil Foods (BRF) em 2009. Ambas as companhias atuavam no setor de alimentos frigoríficos, de modo que sua fusão constituiu uma fusão horizontal.

M&A vertical

Uma fusão ou aquisição vertical ocorre quando duas companhias da mesma cadeia de produção, mas em estágios diferentes da mesma, se fundem, ou uma adquire a outra. Esse tipo de negócio aumenta o controle de qualidade do produto, melhora a troca de informações ao longo da cadeia de produção, explora as sinergias entre as empresas e diminui os atritos causados pela negociação. Portanto, fusões verticais tornam o processo produtivo mais eficiente ou custo-efetivo.

As M&A verticais diminuem os riscos associados com o fornecimento de bens e serviços ao longo da cadeia de produção. As empresas que emergem podem passar a utilizar um único cronograma de produção, de modo que nunca falte insumo para produção.

Existem dois tipos de integrações verticais. Integrações forward se referem a integrações que vão em direção à venda final do produto para o cliente, já integrações backward se referem a integrações que vão em direção à base do fornecimento.

A fusão ou aquisição vertical pode ser também estendida além dos fornecedores para incluir clientes. Por exemplo, nas indústrias de entretenimento e fast food é prática comum de fabricantes de fast food e bebidas se integrarem a estabelecimentos como cinemas e restaurantes de fast food, de modo que apenas sua marca específica de comida ou bebida seja oferecida para venda nesses estabelecimentos.

Um exemplo de fusão vertical ocorreu em 2015, quando a Ikea, fabricante sueca de móveis, comprou 38 mil hectares de florestas dos estados Bálticos. Como a madeira é um dos insumos mais importantes para a produção de móveis, a aquisição dessas florestas por parte da Ikea ajudou a empresa a formar a sua própria rede de gerenciamento florestal, de modo que isso representou uma integração backward.

Conglomerado

Fusões de conglomerados ocorrem quando as companhias que se fundem operam em diferentes setores e indústrias. Fusões de conglomerados são bons para diluir o risco do empreendimento entre diversas áreas.

Deve-se tomar alguns cuidados com a formação de conglomerados. O primeiro cuidado é para o conglomerado não atuar em uma área em que sua equipe de gerenciamento não tem nenhuma familiaridade e capacidade técnica de atuar naquela área, diminuindo assim a eficiência do conglomerado. Outros cuidados devem ser, por exemplo, para que a companhia não se perca em outros setores que não sejam seu setor principal de negócios ou para que não haja um choque cultural entre os colaboradores das companhias que se fundem.

Há dois tipos de conglomerados: puros e mistos.

Um conglomerado puro consiste em companhias que são totalmente distintas e que operam em mercados sem qualquer interseção.

Um conglomerado misto consiste em companhias que estão querendo expandir suas linhas de produção em um mesmo mercado.

Um exemplo de conglomerado ocorreu com a aquisição da American Broadcasting Company (ABC) pela Walt Disney Company, em 1996. Enquanto que a Walt Disney é uma empresa de entretenimento, a ABC é uma empresa de transmissão televisiva, de modo que essa aquisição foi considerada um conglomerado.

Outros tipos de M&A

Os três tipos de M&A citados são os principais, mas há ainda outros dois tipos de fusões e aquisições menos comuns. Um deles é a M&A de market-extension, que ocorre quando duas companhias que vendem o mesmo produto em diferentes mercados se fundem, ou uma adquire a outra. Outro é a M&A de product-extension, que ocorre quando duas companhias que vendem diferentes produtos no mesmo mercado se fundem, ou uma adquire a outra.

Conclusão

Para não perder sua fatia de mercado, a empresa deve sempre estar atualizada sobre as condições do setor em que ela se encontra e agir de modo a oferecer os melhores produtos e serviços para seus clientes. Nesse sentido, fusões e aquisições são formas de melhorar as condições de produção da empresa, seja através de queda nos custos de produção, de aumento na receita ou da própria conquista de novos clientes.