BR Partners

O que é Certificado de Depósito Bancário (CDB)?

 

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. É um título de renda fixa que representa um empréstimo que você faz ao banco. O banco então lhe remunera com juros sobre o valor investido. Essa é uma forma do banco captar dinheiro dos investidores e emprestar para os tomadores de crédito.

Existem títulos de CDB de variados valores. Há títulos vendidos por menos de mil reais até títulos acima de trinta mil reais. Portanto, há CDBs para todas as preferências e comodidades.

Para investir em CDB, você deve ter conta em uma corretora ou banco de investimento que opere esse tipo de papel.

Risco e Rentabilidade

O risco dos CDBs é extremamente baixo, uma vez que esses títulos são cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para valores de até R$250 mil por instituição bancária. Caso você queira investir mais que isso, o ideal é dividir o seu investimento entre duas ou mais instituições, uma vez que o limite de cobertura do FGC para cada CPF é de R$1 milhão.

As instituições menores geralmente oferecem os títulos mais rentáveis, pois elas possuem menor credibilidade em relação aos grandes bancos e, portanto, precisam pagar taxas melhores para atrair investidores.

Há três formas de rentabilidade quando se trata de CDBs:

  1. i) Pós-fixada: nesse caso você atrela o rendimento do ativo a alguma taxa usada como referência. Geralmente essa taxa é a SELIC ou o CDI. Nesse caso, você só descobre o rendimento exato do seu título no final do período.
  2. ii) Prefixada:  aqui, o rendimento do seu ativo já é conhecido desde o momento da aplicação. Independe de taxas de referência externas, como a taxa de inflação ou a SELIC

iii) Híbrida: como o nome sugere, é uma mistura da rentabilidade pós-fixada e da prefixada. A parte prefixada é uma taxa de juros específica (por exemplo, 10% ao ano), enquanto que a parte pós-fixada é algum índice de inflação, como o IPCA.

Incidência de impostos

É cobrado imposto de renda e o IOF sobre a rentabilidade do CDB, isto é, sobre a diferença entre o valor resgatado e o valor investido. A cobrança do IOF segue a tabela regressiva, que institui alíquotas que reduzem de acordo com o tempo, iniciado com alíquota de 96% e chegando a 0% após 30 dias. Ou seja, você só será taxado com IOF caso você resgate a aplicação antes de 30 dias. Passados esses 30 dias, não há mais cobrança de IOF quando você resgatar o título.

A cobrança do imposto de renda segue também a tabela regressiva. O IR é retirado direto da fonte, ou seja, você não precisa declarar o valor do CDB para a Receita.

A taxação segue o seguinte esquema: até 180 dias, a alíquota cobrada é de 22,5%. De 181 a 360 dias, a alíquota é de 20%. De 361 a 720 dias, 17,5%. Por fim, acima de 720 dias, a alíquota será de 15%.

Vantagens e Desvantagens

Uma vantagem do CDB é que sua rentabilidade é maior que a da poupança, podendo chegar ao dobro desta. Além disso, dependendo do tipo de CDB, há liquidez diária, isto é, esses títulos podem ser resgatados a qualquer momento, o que é importante para quem pode precisar do dinheiro antes do vencimento

Ademais, títulos de CDB possuem garantia do FGC, portanto possuem alta segurança. Caso o banco venha a falir, você pode ficar tranquilo que mesmo assim receberá o seu dinheiro aplicado.

Uma desvantagem do CDB é que ele é uma aplicação tributada. Há incidência do IR e, caso você mantenha seu investimento por menos de 30 dias, também do IOF.

Prazo de carência vs prazo de vencimento

Quando se aplica em CDBs, é importante ter em mente a diferença entre prazo de carência e prazo de vencimento. O prazo de carência é o prazo mínimo que você deverá deixar o seu dinheiro com o banco, sem possibilidade de retirada. Após esse prazo, você pode resgatar o seu dinheiro quando quiser.

Já o prazo de vencimento estipula o tempo que o banco ficará com o seu dinheiro. Após esse prazo, o banco lhe retornará o investimento acrescido do juro. Às vezes, não é permitido o resgate antes do prazo de vencimento.

É importante verificar quais são os prazos de carência e de vencimento do CDB antes de fazer a compra.

Conclusão

Se você quer investir em um ativo de renda fixa de baixo risco e boa rentabilidade, certamente os CDBs são uma ótima alternativa.

Esse tipo de ativo pode ser uma boa escolha tanto para quem quer aplicar no curto prazo, através de CDBs de liquidez diária, quanto para quem quer aplicar no longo prazo, escolhendo um título com vencimento longínquo.